Recent News

O profissional que trabalha em altura superior a dois metros (plataformas móveis, andaimes, escadas, etc) precisa seguir a Norma Regulamentadora 35 para sua proteção. Essa norma é válida desde 2012 e é executada pelo profissional supervisor de NR 35.

Em razão disso, as empresas que contam com profissionais que prestam seus serviços em altura, precisam  seguir o que está disposto na NR. Dessa forma, muitas empresas optam por contratar  um supervisor de NR 35, pois a própria norma diz que ele é obrigatório.

Não seguir o que determina a NR 35, é o principal motivo de grande parte dos acidentes e até mesmo de mortes no local de trabalho. A taxa de acidentes no ambiente de trabalho no Brasil é significativa. O país já ocupou   4º lugar no ranking mundial de acidentes de trabalho. com base em informações da Organização Internacional do Trabalho – OIT.

Nesse artigo você irá aprender mais sobre esse profissional de extrema importância. Talvez você possa se identificar.  

 

O que é Supervisor de trabalho em altura?

 

A NR 35 é norma regulamentadora que determina e orienta procedimentos obrigatórios para a segurança no serviço em altura.  Ela assegura condições mínimas de segurança para o ambiente de trabalho. 

O Supervisor de trabalho em altura é o profissional que  fiscaliza as instalações da empresa, e os equipamentos utilizados pelos empregados para que o serviço seja feito.

É este supervisor que identifica os riscos do serviço em altura, e mobiliza procedimentos para elimina-los. Dessa forma, o dia a dia dos profissionais fica mais seguro. Além disso, ele é responsável por orientar o uso dos EPIs necessários e aplicar os procedimentos de emergência e primeiros socorros casa seja preciso. 

Supervisor de NR 35

 

Quem pode ser um Supervisor em trabalho em altura?

 

Para se tornar um supervisor de trabalho em altura é preciso ter proficiência comprovada em NR 35. A própria empresa pode determinar entre seus funcionários aquele que está mais apto a tal função. É comum que técnicos de segurança do trabalho, engenheiros, bombeiros, supervisores da construção civil, etc, ocupem essa função. Mas se o colaborador tem certificação no treinamento de NR 35, e tem experiência no trabalho em altura. A norma não determina a necessidade de um curso especifico para exercer a supervisão no trabalho em altura. Contudo, muitas empresas de treinamento oferecem cursos do tipo. 

 

Quem pode ministrar curso de NR-35?

Para ministrar o curso de NR 35 é preciso que o profissional tenha certificação e experiência comprovada no trabalho em altura. Também é importante observar se ele tem uma boa didática de ensino e experiência em treinamentos. Isso pode fazer muita diferença no momento do seu treinamento. 

 

Como comprovar proficiência NR 35?

A proficiência é a qualificação do profissional. Ou seja,  o domínio de conhecimentos necessários para trabalhar em altura. Segundo a NR 35, para comprovar proficiência é necessário possuir treinamentos na área e registro de atividades que sejam relacionadas a segurança do trabalho.

Outro detalhe é que o gestor da empresa contratante deve confirmar a experiência do trabalhador. Também é importante avaliar a capacidade psicológica e física do candidato.

Qual é a carga horária do curso NR 35?

Pelo exposto na norma, o curso precisa ter carga horária mínima de 8 horas e ser reconhecido pelo MEC – Ministério da Educação e Cultura. A dica é procurar uma empresa que ofereça o curso e seja de confiança, com experiência no mercado.

Qual é a validade do curso de  NR 35?

Após ser aprovado e certificado no curso, o colaborador tem um período de 2 anos até a reciclagem. Após esse período, ele precisará fazer um treinamento de reciclagem com carga mínima de 8 horas.

O curso pode ser feito no local de trabalho ou em centro de treinamento especializado.

Conteúdo programático

No curso, o aluno precisa aprender de forma teórica e prática os conteúdos abaixo:

 

  • Normas e regulamentos aplicáveis ao trabalho em altura, nacionais e internacionais;
  • Análise de Risco e condições impeditivas para trabalho em alturas;
  • Riscos potenciais inerentes ao trabalho em altura e medidas de prevenção e controle;
  • Sistemas, equipamentos e procedimentos de proteção coletiva;
  • Equipamentos de Proteção Individual – EPIs para trabalho em altura: seleção, inspeção, conservação e limitação de uso;
  • Acidentes típicos em trabalhos em altura;
  • Condutas em situações de emergência, incluindo noções de técnicas de resgate e de primeiros socorros.
  • Noções de ancoragem – varas de ancoragem.

 

Assim, o foco do profissional será buscar a segurança de todos os envolvidos com trabalho em altura, direta ou indiretamente.

Obrigatoriedade do curso NR 35

Com base no item 3.1 da NR, é de responsabilidade do empregador fornecer treinamentos específicos aos seus empregados que desempenham trabalhos em altura. No treinamento ele irá estudar sobre  planejamento, organização e execução dos serviços.

Quais os riscos do trabalho em altura?

O trabalho em altura superior a 2 metros apresenta inúmeros riscos. Por isso é essencial que o profissional faça o curso, use os equipamentos de segurança necessários, e tenha o auxilio de um supervisor capacitado para o cumprimento da norma.  

Dentre os riscos de trabalhar em altura, o risco da queda pode ser considerado o mais letal. Contudo, ainda há o risco de choque elétrico ou ser atingido por algum material ou ferramenta.  

Portanto, para evitar riscos é preciso agir de forma preventiva. A carreira de supervisor de NR 35 é rentável, uma vez que sua presença é obrigatória nas empresas que executam atividades em altura.  

News Reporter